TREINAMENTO FUNCIONAL
O Treinamento Funcional como o próprio nome sugere surge como um programa de exercícios físicos que visa o aprimoramento da capacidade funcional do ser humano, ou seja, os exercícios físicos passam a relacionar-se diretamente com as atividades da vida diária do praticante, sendo estas esportivas ou não, com o intuito de proporcionar maior eficiência e segurança no movimentar-se, permitindo um desenvolvimento harmônico do condicionamento físico.

Baseando-se em movimentos básicos como agachar, levantar, empurrar, puxar, saltar, girar e avançar esse método de treinamento ganhou maior estruturação e fundamentação por meio do trabalho de diversos autores norte-americanos dentre eles Paul Check cujos estudos baseiam-se no fortalecimento dos músculos posturais (core), correção de desequilíbrios musculares como encurtamentos e hipotonias causadores de limitações funcionais e consequentemente sobrecargas e lesões do sistema locomotor. Segundo o autor essas correções funcionais são pontos de partida para o desenvolvimento do condicionamento físico e para o treinamento esportivo (EHLERT, 2011l).

Assim, devido ao sucesso em meio à reabilitação, à prevenção de lesões e ao treinamento desportivo o Treinamento Funcional começou a fazer parte das periodizações de treinamento, diminuindo os riscos de possíveis lesões, melhorando a performance esportiva e a qualidade de vida dos praticantes de exercícios físicos.

BENEFÍCIOS:
- Melhora da postura;
- Melhora do equilíbrio muscular;
- Melhora do desempenho nas atividades da vida diária;
- Melhora do desempenho nos esportes;
- Controle do peso corporal;
- Controle de doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, obesidade, a osteoporose, osteopenia, desvios posturais, depressão, entre outras;
- Diminuição de ocorrências de lesões;
- Melhora na eficiência das ações motoras;
- Maior estabilidade da coluna vertebral;
- Desenvolvimento da propriocepção (percepção de si e do movimentar-se);
- Melhora das qualidades físicas com equilíbrio, força, coordenação motora, resistência central e periférica (cardiovascular e muscular), lateralidade e flexibilidade;
- Melhora da auto-estima e autoconfiança;
- Melhora da qualidade de vida;
- Proporciona o sentimento de bem-estar;
- Desenvolvimento da capacidade de avaliar as situações e tomar decisões.